O Hacker

By | 06:45 Leave a Comment
Então, tragam  logo  para cá.

_Mas senhor eu não fiz nada, dizia o garoto puxado a força pelo policial, que o jogou de qualquer jeito na viatura.

O policial pegou o RG do garoto e deu uma rápida olhada rápida, e disse:

_Novembro de 1985, é você não é tão garoto assim vai pegar uns bons anos na cana, seu Hackerzinho de merda, estamos com seu notebook em mãos e quando conseguirmos cruzar os dados das empresas invadidas com o seu computador você estará encrencado, agora vamos para a delegacia você terá uma longa conversa com o delegado.

Chegando no DP foi jogado em uma cela imunda que uma média de dezesseis metros quadrados o hacker suspirou, e disse pra si mesmo, agora estou encrencado.

A cela tinha mais quinze pessoas, uma mais esquisita que a outra, e estavam curiosos quanto ao novo visitante, um cara falou: _ A moça é minha, e todos foram para os cantos da jaula, abrindo espaço para mostrar quem mandava no lugar. O cara estava em um canto da parede, era muito feio devia pesar uns 130 quilos.

O hacker olhou pra ele e pensou como é feio, e será que esse maluco nunca toma banho.

Todos deram risada e olhavam com prazer o novo morador daquela horrível residência, o gordão foi se aproximando dele com aquela cara de excitação que somente uma pessoa muito perturbada poderia fazer, chegou no seu ouvido e sussurrou, a noite é só eu e você benzinho.

Já havia passado quatro horas que o hacker tinha sido jogado naquela cela imunda, mas para ele parecia uma eternidade mas agora que o gordão chegou na sua orelha e falou baixinho um monte de obscenidades, ele começara a se preocupar.

O gordão passou a mão em seu rosto, nessa hora ele sentiu vontade de vomitar.

Foi quando o carcereiro chegou e disse: _O delegado quer falar com você hacker, e o tirou daquele, horror.

Entrando na sala do delegado, ele sentiu-se mais aliviado, mas sabia que rapidamente estaria nas mãos do gordão, iria sofrer grande pressão psicológica por parte dos policiais e depois ao voltar a cela ficaria pior. Foi quando o delegado rompeu o silêncio, perguntando então você é hacker?

_Não eu sou somente técnico de informática, não tenho conhecimento para invadir sites ou sistema de empresas, que é a alegação que estão fazendo para me incriminar.

_Isso é verdade eu tive vendo seu computador e nele tem Linux instalado e o que consta nos autos é que as empresas foram invadidas por um Windows XP, e isso lhe inocenta do caso, vou pegar o seu computador e seus pertences.

Enquanto isso do outro lado da cidade outro delegado tentava falar ao telefone, mas só dava ocupado, viu que não iria conseguir falar ao telefone, então pegou o carro e saiu feito um louco para a delegacia onde encontrava-se o nosso hacker. Era o delegado de crimes cibernéticos de São Paulo.

O rapaz agora era um ex-presidiário e já estava na porta da frente da delegacia, com seu notebook debaixo do braço direito, assoviava feito um pássaro, chegou a avistar um carro cantando pneus próximo a delegacia, o veículo parou de frente a ele e desceu o delegado que a pouco tentara fazer uma ligação telefônica sem sucesso, o carro ficou com as portas abertas e o homem subiu os 15 degraus da escada antes de entrar na delegacia pulando de três em três.

_Onde está o hacker?

_Oras, foi solto, conforme conversamos a uma hora atrás, era inocente, não?

_Puts, era ele o hacker, ele é considerado um dos maiores hackers brasileiros, tínhamos ele preso, agora vai ser difícil pega-lo novamente. Ele é ligeiro, usa documentos falsos, e para despistar utiliza máquinas virtuais. Enquanto todos estavam pensando que a maquina dele era um Windows XP, e ele aparece com um Linux, na verdade ele funciona um sistema dentro do outro.

By Gilvan
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Postar um comentário